VISITA AO MUSEU

Nossa visita ao museu era proporcionar aos alunos, confrontos com a teoria estudada e com a história vivida por nossos antepassados, que construíram a historia de nossa cidade. Também evidenciar o progresso a serviço da humanidade.
Na disciplina de ciências, estudamos o esqueleto humano e foi com muita curiosidade que os alunos puderam observar os crânios lá encontrados e se perceberem neles. 
Professora Mara Lucia Formento  – 5º ano
  Dia 28 de agosto nossa turma foi conhecer o museu Etno Arqueológico. Eu aprendi um monte de coisas, e vou contar um pouco do que vi e aprendi.
Onde hoje é o museu passava o trem conhecido como Maria Fumaça ou Litorina. Chamava-se Maria Fumaça porque ela era um trem de carga, transportava madeira, tijolos, alimento e outros. Você sabia que os Sambaquis já existiam antes dos índios? Eu fiquei sabendo na visita ao museu.
Para entrar no museu existem algumas regras, que a professora do museu nos passou, as regras são para manter o local sempre organizado para receber as pessoas.
Achei muito interessante os crânios que os arqueólogos acharam numa escavação, percebi como realmente somos.
Vimos também vários objetos como lamparinas, dente de peixe, um paiol e barril de vinho e um boi de mamão que não era de mamão, mas a professora explicou que quando surgiu o boi de mamão era feito a cabeça com a fruta, depois que foi se modernizando.
O que eu mais gostei e achei muito bonito foi a flecha.
Aluna Ester de Souza Bastos.
 

SEMANA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

 
A Semana da Pessoa com Deficiência é realizada nos dias 21 à 28 de agosto de 2013, e na Escola Básica Gaspar da Costa Moraes foram realizadas diferentes ações de conscientização e inclusão. Buscou-se realizar um trabalho que fizesse os envolvidos refletirem sobre as diferenças, pois na escola acolhem-se todos os alunos, independente de sua condição física, intelectual, social ou racial. Vivenciam-se as diferenças diariamente e nem sempre os seres humanos dão-se conta que todos somos diferentes, que cada um tem suas habilidades e potencialidades, bem como suas limitações e dificuldades.
Durante a semana, tivemos uma palestra com o profº Eduardo Torto, contando sua história de vida e superação, às turmas do 7° ano e 7ª série.
 
 Apresentação do grupo de dança Açoriana da APAE de Itajaí…

 Dinâmica com a instituição Vovó Biquinha, na turma do 1° ano… com a historinha “Um Mundinho Diferente”.

 Após a historinha, cada aluno confeccionou o “seu mundinho”.

Contação de histórias sobre as diferenças, para as turmas dos anos iniciais, em parceria com as bibliotecárias da escola! As historinhas contadas foram: A formigadinha, Na minha escola todo mundo é igual, e Tudo bem ser diferente. 

Palestra da APAE de Itajaí, sobre o programa Capacit – Inclusão da pessoa com deficiência no mundo do trabalho – para a turma do 7° ano, tendo em vista que temos um aluno desta turma que participa do programa.

Apresentação da peça “LIBRAS NA CARTOLA”, realizado por profissionais do CEMESPI.

Dinâmicas realizadas na escola pelas professoras de Educação Física, Cristianne e Luciane.

 

 Alguns alunos também participaram, juntamente com profª de Educação Física, profª da Sala Multifuncional e Agentes de apoio em educação especial do PARAJORME, promovido pela FME, em uma manhã de muita diversão e premiações!

 
texto produzido em 24/09/2013 pela professora da Sala Multifuncional
Camila Baggio do Amaral

 

SEMANA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA
21 à 28 DE AGOSTO DE 2012

Escrito por Camila Baggio do Amaral 
( Professora da Sala Multifuncional ) 

As nossas diferenças são o que nos tornam únicos e especiais
A Semana da Pessoa com Deficiência ocorreu na rede municipal de ensino nos dias 21 à 28 de agosto de 2012.

Na escola Gaspar da Costa Moraes foram realizadas diversas atividades com o objetivo de sensibilizar os alunos em relação às diferenças de cada um (todos nós somos diferentes!), a aceitar o outro e compreender que a condição da deficiência não impede o aluno de aprender, ter suas opiniões, ser ativo e participativo, e estar de fato incluído no grupo. Precisamos mudar nosso olhar em relação ao diferente, reconhecer que todos têm dificuldades e também potencialidades, independente de termos uma deficiência ou não. Basta que, para isso, sejam utilizados recursos adequados e que atendam as necessidades de cada um. 

A inclusão hoje já está quebrando muitos paradigmas, mudando muitos olhares e atitudes, mas ainda há um longo caminho a percorrer. Com ações efetivas nas escolas, vamos no dia-a-dia fazendo com que a pessoa com deficiência seja reconhecida como um ser humano com muitas possibilidades, e que todos passem a respeitar as diferenças, afinal “Ser diferente é normal”! 

Sendo assim, na semana de conscientização, foram realizadas palestras, visitação a outras entidades, produção de material pelos alunos, visitação a Sala Multifuncional da escola, mural e vídeo expositivo do trabalho realizado no AEE, filme, contação de histórias e a visita da Fundação Municipal de Esporte e Lazer que trabalhou com os alunos nas modalidades: Bocha Paraolímpica e Tênis de campo em cadeira de rodas, sendo que temos alunos na escola que participam destes programas paradesportivos.

Nossa semana então iniciou com atividades no dia 20/08, com uma visita à Associação Pássaros de Luz, que trabalha com a Educação Condutiva no município de Itajaí, atendendo pessoas com lesão cerebral. Na nossa escola, temos um aluno que frequenta a instituição, e, então, estabelecemos uma parceria onde alguns alunos da turma deste aluno, tiveram a oportunidade de visitar a Associação. Na oportunidade, puderam observar como ocorre o programa de Educação Condutiva, receberam informações a respeito da Paralisia Cerebral, e interagiram com alunos, condutor e facilitadores, experimentando materiais, vivenciando e sentindo, colocando-se no lugar do outro.  Foi um momento de muitos aprendizados, de trocas, muito importante para todos os envolvidos, onde as alunas puderam observar um novo trabalho, e com isso, um novo jeito de ver o outro. Ficamos muito felizes em saber que a nossa escola foi a primeira a realizar um trabalho como este de poder estar levando outros alunos para conhecer a Associação. Em outro momento na escola, as alunas que participaram da atividade elaboraram cartazes com o que aprenderam e viram, repassando assim as informações e novos conhecimentos aprendidos ao restante da turma. É importante salientar, também, a alegria e entusiasmo do aluno que frequenta a Associação, de poder levar seus colegas para ver as outras tantas atividades que ele realiza, e poder estar falando em parceria com as colegas para toda a turma.

Alunas recebendo informações sobre Paralisia Cerebral na Associação Pássaros de Luz

Construção dos cartazes informativos
 
No dia 22/08, tivemos a palestra de abertura, com as profissionais do CIEP Vovó Biquinha, Priscilla C. Pinto e Elizete Wolff da Costa, que trabalharam muito bem o tema Inclusão e mostraram um pouco do trabalho que é realizado na Vovó Biquinha. Foi um momento em que os alunos puderam refletir sobre a Inclusão e as nossas diferenças. Com este trabalho, podemos observar também o quanto a inclusão está sendo bem trabalhada com as crianças desde pequenas, fazendo com que elas passem a ver as diferenças como algo normal, e a respeitar o outro como ele é. E é assim que veremos futuramente, muitos frutos positivos da inclusão, pois nos dias de hoje, as crianças, desde a educação infantil, já estão aprendendo a conviver com as diferenças.

No dia 23/08, recebemos o professor Álvaro da Silva, que apresenta Deficiência Visual, e hoje trabalha na Fundação Municipal de Esporte e Lazer com o Xadrez adaptado para DV, para dar seu relato de vida e realizar uma sensibilização sobre a pessoa com deficiência. O professor também estava com o seu cão guia, e explicou para todos o que é o cão guia, o seu treinamento, e informações sobre como agir quando alguém vê um cego na rua com o cão.  Mostrou o comportamento do cão quando ele está usando a sua guia, quando está a trabalho, e sem a guia, para os alunos poderem observar, e salientou também a importância de não fazer carinho, ou chamá-lo quando a está usando, pois ele não pode desviar sua atenção da condução da pessoa cega. Todas as turmas envolvidas ficaram muito atentas, curiosas e envolvidas com o que estava sendo apresentado à elas. O treinamento dos cães é realizado pela Escola de Cães Guia Helen Keller.

No dia 23/08, durante o período vespertino, foi passado aos alunos das 7ªs e 8ªs séries o filme “Soul Surfer – Coragem de viver”, baseado em fatos reais, que retrata a história de uma jovem surfista que perde um de seus braços com um ataque de tubarão, e que, após o ataque, começa  a sua grande história de superação, que mesmo sem um dos braços, luta pelo seu sonho de se tornar surfista profissional. Ela não só conseguiu vencer suas limitações para voltar a surfar, como conseguiu também aos 20 anos integrar a elite mundial do surf profissional feminino. Um filme bastante envolvente, com uma linda história que prendeu a atenção dos alunos, e que nos faz refletir sobre as nossas limitações e de como é importante não desistir do que queremos, mesmo com todas as adversidades, e acreditar no potencial de todos independente de sua condição. 

 Contação de histórias com a professora Ana Helena

Dia 24/08, foi o dia da visita à Sala Multifuncional. As turmas que visitaram a sala tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais do trabalho que é realizado no AEE, quais alunos são atendidos, conversar sobre as deficiências, questionar e tirar dúvidas. Também viram alguns dos trabalhos que os próprios alunos fazem, tiveram contato com livro em Braille, historinhas no computador em LIBRAS, e conheceram alguns materiais adaptados para pessoa com deficiência física, como por exemplo, adaptadores de lápis, teclado colméia, e como são usados estes materiais. Puderam também vivenciar um pouco da deficiência através de atividades de sensibilizações, utilizando venda nos olhos para sentir objetos, escrever e desenhar com a mão não dominante, usando também os adaptadores, para perceber como seria ter uma dificuldade na coordenação motora fina. Os alunos fizeram algumas atividades e jogos que são trabalhados na Sala Multi e também utilizaram o computador, realizando jogos de raciocínio-lógico que são trabalhados com os alunos com deficiência. Foi uma experiência positiva, os alunos participaram com muito empenho e curiosidade, podendo compreender melhor o que é o trabalho realizado no AEE.


Nos dias 24/08 e 28/08, recebemos a professora Ana Helena, que realizou a contação de histórias para as turmas das séries iniciais, no período matutino e vespertino. As turmas de 4º e 5º ano, ouviram a historinha da “Menina do vestido azul”, e as turmas de 1º, 2º e 3º ano, as historinhas “Três porquinhos”, e “Chapeuzinho azul”, todas com adaptações, com personagens que possuíam alguma deficiência. A professora envolveu todos os alunos fazendo com que participassem, imaginassem todos os fatos ocorridos com a sua encantadora maneira de contar histórias. Realizou com as crianças também a brincadeira da “Caça ao ursinho”.

Aluno realizando atividade com adaptador
Recebemos, também, no dia 27/08, a Fundação Municipal de Esporte e Lazer, que trabalhou com algumas turmas as seguintes modalidades do paradesporto: Bocha Paraolímpica, e o Tênis  de campo em cadeira de rodas, visto que na escola, temos dois alunos que participam destas modalidades paradesportivas. No período matutino, trabalhou-se com a Bocha Paraolímpica, com a turma da 6ª série. A professora de educação física Luci, da FMEL, conversou com os alunos, explicando o trabalho da FMEL com o paradesporto, o que é a Bocha Paraolímpica, as regras, e juntamente com o aluno Antônio, que participa desta modalidade, demonstrou como é o jogo na prática, contando com a participação de professores e colegas. Depois, foi a vez dos alunos experimentarem, jogando e ajudando o outro. A professora destacou também a importância dos amigos incentivarem o aluno, e sempre perguntar como estão os seus treinos para que assim ele se sinta ainda mais motivado.

No período vespertino, as turmas do 6º ano e 7ª série, participaram do Tênis de campo em cadeira de rodas. O aluno Arno, do 6º ano, que participa desta modalidade paradesportiva, juntamente com sua treinadora, demonstraram como é o jogo, realizando uma partida de tênis e, após, foi explicado aos alunos as regras do jogo, e informações sobre o Tênis em cadeira de rodas e o paradesporto. Depois, foi o momento dos alunos poderem vivenciar e experimentar, colocando-se na cadeira de rodas para jogar tênis junto com o colega. Primeiramente manusearam a cadeira de rodas para sentir os movimentos e depois jogar. Os alunos que participaram puderam perceber a dificuldade de se realizar um esporte em cadeira de rodas, pois requer concentração e agilidade, para movimentar-se e manusear a raquete.

Foi um dia muito especial, pois é através de atividades como esta que os alunos percebem na prática, o quanto a pessoa com deficiência também pode realizar inúmeras atividades, inclusive o esporte, e conhecer um pouco mais do paradesporto, que está crescendo e sendo cada vez mais reconhecido, e estimular outros alunos a procurarem uma prática esportiva, tanto os que possuem ou não uma deficiência.

A Semana da Pessoa com Deficiência foi um momento muito importante na escola, em que todos puderam conhecer alguns dos diversos recursos e adaptações utilizadas no trabalho com a pessoa com deficiência, novas práticas, e refletir sobre as diferenças. Com este trabalho, esperamos colher bons frutos futuramente, estabelecendo também novas parcerias e tendo a consciência de que, a inclusão, é um assunto que devemos priorizar e trabalhar na escola durante todo o ano, pois convivemos com a diferença dia-a-dia na escola e na sociedade.

Inclusão é o privilégio de conviver com as diferenças.” (Mantoan)